Sem bússola, só contigo

Posted in Milamarian on janeiro 28, 2008 by sabrinabenites
sembussolasocontigo.gif
SEM BÚSSOLA, SÓ CONTIGO
Milamarian
 
 
Mantenho-me no sustento de meus pés
em qualquer distância e circunstância
estaciono os espasmos das reentrâncias
e navego entre açus e mirins igarapés.
 
O amor, por ti semeado bem aqui
é alicerce nas subidas e descidas
habilita o nanquim na tinta colorida
a tingir o gris c’o frescor que recebi.
 
Sou tua identidade, teu nome eu cultivo;
no meu interno, és minh’eterna metade
ao meu redor, tua voz é meu infinitivo,
 
num poder tão profundo e necessário
lenitivo nas mortas horas, desfaz a nulidade
deste solitário caminhar sem itinerário.

Nem arrogância, nem vaidade

Posted in Tânia Sueli Oliveira on janeiro 28, 2008 by sabrinabenites

nemarrogancianemvaidade.gif

 

Nem arrogância, nem vaidade…
Tânia Sueli Oliveira

Busquei tanto encontrar você um dia.
Estava lá em meus lindos sonhos.
Insisti, não desisti, mesmo com dúvidas .
Já cansada desta busca incessante…
Quando você surgiu, nem acreditei.
Vivemos momentos maravilhosos, encantados …
Ah ! Como eu sentia confiança, segurança !
Fui arrogante ? Fui vaidosa ? Não tive humildade?
Ah ! Surgiu o ciúme, a saudade, uma dor profunda !
A distância foi ficando maior dia à dia …
Muitas questões sem respostas claras.
Surgiram as mentiras, dissimulações.
Um sofrimento indescritível tomou conta de mim !
O medo ou o amor fizeram-me perdoar…perdoar…
Não fui arrogante, nem vaidosa, apenas amei !!!

 

Meus pés descalços

Posted in Sávio Assad on janeiro 28, 2008 by sabrinabenites
meuspesdescalcos.gif
Meus Pés Descalços
Sávio Assad
 
Na estrada da vida, meus pés tocam o chão
As pedras e os espinhos perfuram minha carne
Mas sorridente caminho, a procura de minha paz.
 
Lágrimas rolam de meus olhos e umedecem o solo,
Germinando rosas perfumadas e coloridas, iluminando.
Agora sigo em passos largos, pois vislumbro o grande clarão.
 
O sol entra em meu coração e brilha no meu rosto
Já não sinto meu pés tocarem o solo, macios, eles caminham
Entre nuvens  brancas ímpares e serena, elevando meu espírito.
 

Cansei de ser certinha

Posted in Misteriosa Navegadora 13 on janeiro 28, 2008 by sabrinabenites
canseidesercertinha.gif
Cansei de Ser Certinha!!!
Misteriosanavegadora13
Cansei de ser boa moça
Hoje quero ser
uma mulher fatal
vestir meu pretinho básico
pintar os lábios de carmim
e fazer beiçim
Quero te seduzir
Que me importa os vizinhos
quero ser uma dama louca
ousada
e atrevida
Beijar sua boca
gemer no seu ouvido
dançar contigo
umbigo a umbigo
Chega de dormir sozinha
tomar ducha de água fria
sonhar acompanhada
e acordar suada
Hoje serei outra mulher
e se você não me quiser
encontrarei outro
que seja mais ousado
que me olhe apaixonado
e me faça mulher!!!

Cúmplices e nada mais

Posted in Débora Acácio on janeiro 28, 2008 by sabrinabenites
cumplicesenadamais.gif
Cúmplices e nada mais
Débora Acácio
É somos cúmplices sim
E dai?
Somos cúmplices dessa doce e maravilhosa sensação de querer, possuir,ter , assumir, de nos consumir.
Nos consumir assim…
Devagar..
Do começo de nosso corpo ao fim
de nossa eclipse, nossa fusão.
Esse misto de ternura e devassidão…
De razão e emoção…
De sim e de não…
 Somos cúmplices sim.
E dai??
Cúmplices nessa caixa mágica…
atípica e inexorável chamada
existência.
E para que resistência?
Somos cúmplices em nossos segredos,
desejos, sonhos e realizações.
Nas alegrias e decepções…
Nos direitos e nos deveres…
Nas surpresas e revelações…
Somos cúmplices, sim!
E assim vamos juntos.
na tramas e colheitas de nossas
ações.
Pensando juntos antes das decisões.
Caminhando de mãos dadas,
Olhando para frente.
Levantando e caindo
Descendo e subindo
Mas sempre assim
Cúmplices e nos assumindo.

Cristaleira

Posted in Milamarian on janeiro 24, 2008 by sabrinabenites
cristaleira.jpg
Cristaleira
Milamarian
Passa pelas vidraças a espuma e flutua
nos ares desta sala sem sequer definição
cinzentas nuvens que descem ao chão
e no tapete se esvaem sob a luz da lua.
Esquece-te cristaleira d’outras memórias
os abalos soltos nas neblinas passageiras
quando guardaste as lágrimas da cerejeira
reverte as cores, dores não são mais história.
Resvala as sombras, grafa e debrua agora
aquela flor que aos mares súbito lançara
lilases tons em doces prelúdios  à aurora
resistindo o perfume aos ventos uivantes
nas colinas adormecidas e assim revigorara
os vitrais de tristeza não mais relutantes.
Japão em 31 de maio de 2007.
 

Anjos verdes!

Posted in J.J.Oliveira Gonçalves on janeiro 24, 2008 by sabrinabenites
anjosverdes.gif
Anjos Verdes!
 J.J. Oliveira Gonçalves
 
 
Olhos verdes… Esmeraldas
Incrustadas em tua face…
As Musas (enciumadas!)
Não queriam que os cantasse!
Mas esta Lira que tanjo
De volúvel natureza
Não resistiu aos dois anjos
De esmeraldina Beleza!
Anjo ou mulher… (ou menina?)
De tão saudosa lembrança…
Bela, sensual, pequenina
Inda jeito de criança…
Poeta – o Estro não nego
Nem renego a vocação!
A timidez que carrego
Não carrega o coração!
Aroma da flor do campo
Amanhecida de Aurora:
Em teus olhos eu me acampo
E para ti canto agora:
Teu olhar contém o Mar
E a Esperança, também!
Conjugam o verbo Amar
Mas não contam pra ninguém!
És redondilha amorosa
No Lirismo do meu verso…
És da Vida o Cor-de-Rosa
A Rosa-Azul do Universo!
Teus olhos são dois pingentes
Que na estrofe se derramam…
Se são tristes, são contentes
Sozinhos, soluçam… chamam:
Por Amor- Artee Paz
Tão escassa neste mundo!
Cantá-los – vê: me apraz
Com meu sentir mais profundo!
Bela Musa que encontrei
Sem querer… no entardecer…
Para cantar-te rimei
Tua Beleza e meu Sofrer!
Estrelas Vésper – brilhantes
Neste Epílogo Outonal!
Intermitentes diamantes
Amuletos… afinal!
Deixo, aqui, a redondilha
Para os belos olhos teus:
São eles a Luz que brilha
Em meu verso e… não são meus!