Archive for the Arneyde T.Marcheschi Category

Nossas suaves lembranças

Posted in Arneyde T.Marcheschi on janeiro 5, 2008 by sabrinabenites
suavelembr.gif
Nossas suaves lembranças
Arneyde T. Marcheschi

Nas asas do tempo
vou navegando num mar
que não é azul,nem sereno.
Ondas grandes revoltas
quebram na areia,
trazendo -me mil pensamentos
do nosso amor a beira do mar.

Nas asas do tempo
recolho a minha luta solitária
contra as constantes
le,branças que abrem
chagas no meu coração.

Sob a amplidão de um céu
que hoje não é estrelado,
é solidário comigo…
frio,feio, desnudado
volto ao passado.

Saio da minha caverna
escura, hedionda
onde por anos abriguei
meus sonhos,minhas vãs
esperanças…
encontro as estrelas num
novo céu a brilhar.

Olho para elas…
elas correspondem ao olhar
há cumplicidade no ar…
são testemunhas silenciosas
de ternuras infinitas,
de beijos cheio de paixão,
que traduziam todo o
nosso amor e fantasia.

Indagam-me sobre você
respondo que partiu…
que me deixou só com  as doces
e vivas recordações
de um ontem tão vivo em nós.

Parece que nesse meio tempo
a brisa suave da noite
se agita, e junto ao vento
trouxe-me seu sussurro,
sua voz…seu lamento.
Senti uma vibração diferente
um sopro delicado no ouvido,
apaixonadamente ainda
te amo!

Espera por mim….
continuas alquimista?
Ainda é meio bruxinha.
Então continue acreditando
lhe vejo a todo momento
no mar dos meus olhos verdes
o reflexo de você
a mulher que amo e amarei
por todo o sempre…
até a eternidade.

Uma calma se apodera
de minha alma
choro…rio.me sinto  flutuar
e no céu azul escarlate
estou com você a dançar
e nos seus braços,sinto
todo nosso amor voltar.
Sinto-o mais vivo que antes.
pois sou alguém que arrisca
por acreditar que a vida vale a pena
quando vamos em busca do que
queremos….sem deixar nada
me deter…reencontrei
para todo o sempre: Você!

Anúncios

Quando o que restou foi a solidão!

Posted in Arneyde T.Marcheschi on janeiro 4, 2008 by sabrinabenites
qdorestousolid.gif
Quando o que restou foi a solidão!
Arneyde T. Marcheschi
 
As palavras somem
o pensamento fica confuso,
tudo parece morto.
Preciso de tempo
para recompor minhas idéias
para saber o que acontece ,
porque meu mundo emudece.
Não sinto o aroma das flores
nem o gosto do amor,
nem vejo o brilho da lua
nem o calor do sol.
Tudo se torna insípido,inodoro,
irreal,triste,melancólico.
Perdeu-se o encanto
morreu a poesia,
resta  a busca pelas
palavras, pelos sentidos.
Peca-se com a ironia,
cala-se a alma
recolhe-se o espírito
abafa-se o coração,
rende-se a inquietação.
Ficou apenas
o brinquedo solidão…

Malabarismo da vida

Posted in Arneyde T.Marcheschi on dezembro 30, 2007 by sabrinabenites
malabarismo.gif
Malabarismo da vida
Arneyde T. Marcheschi
Pendurada nos trapézios
da vida,
enfrento meus fantasmas,
em meio aos desafios.
No torpor do picadeiro
ficam sempre os ecos
das brincadeiras, dos sorrisos
das vitorias conquistadas,
das desilusões esquecidas.
Nas gangorras da vida
indo para cima e para baixo
os degraus as vezes ainda
me confudem…
No equilibrio justo
somado as adverssidades
na luta pelas necessidades
muitas vezes esqueçendo a idade,
me penduro,
corro risco de cair…
Com mil malabarismos
tento ludibriar meus dias
correndo pra cá, pra lá
na busca incessante
da eterna tranquilidade
que pode me levar a
sonhada felicidade.
Audaciosa, extrovertidamente
procuro me sustentar
em meio aos desafios
que entorpecem minha mente.
Vivo de malabares
sou corajosa,destemida,
mulher de mil andares.
Na corda bamba
disfarço meus temores
escondo minhas duvidas,
procuro nas alturas
sorrir ao mundo que me
acena ca de baixo.