Archive for the Ferdinando Category

Poeta

Posted in Ferdinando on novembro 29, 2007 by sabrinabenites

poeta.gif

POETA
© Ferdinando

 

Brademos bem alto a voz da liberdade!
Caminhemos contra a barreira destruidora
semeemos o amor, nas ruas mais escuras
aniquilando as assassinas máquinas de aço.

 

Sobre o fogo que nos verga, punhal que nos corta
gritemos no vago do abismo da tremente terra
na noite que pulsa e geme, inconfessos dias…
dilatado pasmo sobre a nudez da alma sem sol!

 

Digamos não à guerra!… Ao terror crescente
plantemos a árvore do amor em cada esquina
em pétalas de primavera, ornando as ruas tristes…

 

Cantemos nossos versos na montanha mais alta
para que ao som desta fortaleza que nos alimenta
desponte o raiar da vida, com a voz da felicidade!

 

Germany 18.10.07
www.fersi.de

 

Te procuro

Posted in Ferdinando on novembro 23, 2007 by sabrinabenites

teprocuro.gif

TE PROCURO…
© Ferdinando
 
Fecho a janela da vida, e cada noite
respiro o desejo de te encontrar…alvor do
do dia, aformoseando o negrume dos meus olhos
 
Sobre os meus dias há cortinas de medo
carregando desejos, no afagar da saudade!
Quero entender, que o amanhã traga novo sol
e adormeço por dentro, no âmbito do teu sorrir.
 
No dia seguinte a mesma promessa flagrante,
feita em estátua moldando a voz da minha mente!
Fico a cismar porque morres-te atrás do sol
onde os outros mudam as palavras em fantasia.
 
Porque não és como o mar no ocidente da vida,
volta sempre abraçando a areia cantando nas dunas…
procura as cinzas ficadas no tempo que ardem ainda
bebendo a suavidade das esperanças que falam
de ti, em ânsia sempre azul de te encontrar!!!
 
Germany 23-09-07

Segredos do Mar

Posted in Ferdinando on novembro 22, 2007 by sabrinabenites

segredosdomar.jpg

SEGREDOS DO MAR
© Ferdinando

Meu olhar lúbrico caiu sobre o teu corpo
lentamente, e na posse desse instante
imaginário…desnudei-te lentamente
fazendo-te minha, ante o caminhar da brisa…

Teu corpo era o mar, que eu naveguei
imaginando os teus braços serem remos
sobre o azul afável da tua pele sedosa …

Nós os dois enchia-mos a praia!… Em silêncio
o mar beijava os teus sedosos cabelos
em espumas leves, num tocar terno e macio
como beijos silentes, em inflamado desejo.

Sobre a rocha ante a imensidão dos longes
ali sonhamos, até que a cortina da noite calma,
trouxe o cintilar das estrelas que nos fitavam
escrevendo nas ondas, nossas rasgadas juras!!

Germany 17-11-07